Brasília Depressão TDAH Pânico Ansiedade Neurofeedback, Brasília, DF, Neuroterapia, Biofeedback, Psicologia, Neurologia, Depressão, Insônia, TDAH, Déficit de Atenção, Ansiedade, Pânico, Dependência, Alcoolismo, Psicofármacos, Psiquiatrico, Derrame, AVC, Au
 
 
 
 

O que é e para o que serve o Neurofeedback?

 

Neurofeedback é uma técnica de neuroterapia, não invasiva e não medicamentosa, usada para melhorar o desempenho cerebral através do treinamento direto do cérebro, utilizando-se de conhecimentos e modernos recursos de neurociências, psicologia e computação.

 

O Neurofeedback é uma tecnologia relativamente nova no Brasil. Nos EUA e na Europa começou a ser utilizada de forma não comercial na década de 70. São mais de 40 anos em pesquisas e uso clínico. O desenvolvimento tecnológico atual em especial da computação tornou possível a aplicação comercial das mais avançadas técnicas de abordagem do funcionamento cerebral em um nível nunca visto antes. Entre as mais modernas e promissoras tecnologias como a ressonância magnética (fMRI) e tomografias computadorizadas (CAT, PET),  usadas como intrumento de diagnósticos, destaca-se o NEUROFEEDBACK, uma técnica neuropsicológica que além do uso em diagnósticos diferenciais, é usada no processo de tratamento de patologias relacionadas ao funcionamento cerebral.

 

O Neurofeedback pode ser utilizado para:

  • tratamento de depressão, insônia, déficit de atenção, ansiedade, pânico, dependência química, e diversas outras patologias; 

  • treinamento de alto desempenho de estudantes, atletas, músicos, executivos e profissionais de diversas áreas;

  • desenvolvimento pessoal psicoespiritual em diversas áreas como a meditação, práticas de atenção, yoga, etc.

  • várias outras aplicações.

 

O Neurofeedback (NFB) funciona num modelo mais holístico, diferenciado do modelo biomédico onde o paciente fica passivo e recebe um remédio. Nesta técnica o organismo é induzido por processos naturais intensificados a produzir o seu remédio através da modulação eletromagnética das ondas cerebrais, o que melhora a qualidade e a manutenção do resultado, sem o risco dos efeitos colaterais e produção de outras patologias como resultado do tratamento químico com medicamentos. Apesar da complexidade do funcionamento cerebral e da tecnologia envolvida, a abordagem para o cliente é extremamente simples e efetiva.

 

 

Como é uma sessão de Neurofeedback?

 

Após a identificação dos problemas e objetivos trazidos pelo cliente, é feito um estudo do funcionamento cerebral com dados obtidos através da realização de um exame neuropsicológico, o qEEG - Eletroencefalograma Espectral Quantitativo, específico para a técnica de Neurofeedback. Em seguida define-se um plano de tratamento para as mudanças que se pretende obter, conforme o caso do cliente. Feito isso inicia-se o tratamento.

 

Durante o tratamento, obtém-se instantaneamente os dados do funcionamento do cérebro do cliente, que é ensinado a funcionar de forma a suprimir os sintomas da doença e/ou melhorar a performance de determinadas funções, definidas no protocolo.

 

Como o Neurofeedback funciona?

 

O exame neuropsicológico qEEG, Eletroencefalograma Espectral Quantitativo, específico para a técnica de Neurofeedback, tem como objetivo obter os dados de funcionamento do cérebro do cliente.

 

Sensores são colocados sobre o couro cabeludo do cliente, ligados ao equipamento de Neurofeedback e a um computador que fazem a captação e processamento dos sinais eletromagnéticos produzidos pelos neurônios. 

 

Assim, obtemos os mapas quantitativos de distribuição da atividade neurológica que, juntamente com as respectivas assinaturas neurológicas, e os bancos de dados normativos, permitem a realização de diagnósticos diferenciais para confirmação objetiva de diagnósticos clínicos prévios, e definição dos protocolos especializados de treinamento para aumento de performance e/ou para tratamento de doenças.

 

No treinamento por Neurofeedback, os sinais de ondas eletromagnéticas são captadas e processados por um computador de alto desempenho, que instantaneamente apresenta a informações de volta ao indivíduo sob a forma de sinais áudio-visuais (vídeos, gráficos dinâmicos, marcadores visuais, jogos de computador, sons, músicas, etc). Estes sinais de "neurofeedback" são emitidos pelo equipamento de acordo com parâmetros pré-estabelecidos no protocolo de treinamento definido.

 

Desta forma é possível mostrar ao cliente as informações do funcionamento do seu cérebro em tempo real, e ao mesmo tempo o equipamento de Neurofeedback direciona, a cada instante, o funcionamento do cérebro no sentido da modificação desejada, o que fornece as condições para que a aprendizagem neurológica aconteça. Num primeiro momento, as mudanças na atividade das ondas cerebrais são breves e transitórias, em seguida, os novos padrões tornam-se mais firmemente condicionados nos locais e com as características almejadas, associadas a um melhor desempenho.

 

 

Como o cérebro aprende com o Neurofeedback?

 

O aprendizado acontece de forma natural, como se aprende a andar de bicicleta ou usar um controle remoto, no entanto de forma intensiva e especializada, como numa academia de ginástica. O  Neurofeedback estimula e utiliza as habilidades naturais do cérebro, visando sua reorganização, regeneração, otimização funcional, e o desenvolvimento de suas potencialidades. Desta forma, podem-se corrigir problemas no funcionamento cerebral e aprimorar seu desempenho.

 

O  cliente aprende de forma intensiva e pontual, através da aplicação de técnicas psicológicas da ciência do comportamento, recebendo um sinal positivo toda vez que produz os padrões de ondas cerebrais desejados. O cérebro aprende pela repetição, através de sua caracteristica de mudança e adaptação natural chamada de neuroplasticidade,  conhecida como resultado de estudos e pesquisas em neurociência. O Neurofeedback utiliza estas técnicas e recursos de aprendizagem para chegar à raiz do problema e remodelar o seu cérebro.

 

Quanto tempo é necessário para as mudanças acontecerem?

 

Os resultados clínicos mostram que são necessárias em torno de 30 a 40 sessões, no mínimo duas por semana, para se obter resultados consistentes e perenes. Em 20 sessões já se pode ver as mudanças. Nos casos não convencionais e mais graves, quando possível o tratamento, usualmente é necessário um número maior de sessões, o que deve ser analisado caso a caso.

 

 

 

 
 
  • b-facebook
  • b-googleplus

© 2014 por NeuroMind - Clinica de Neurofeedback.